Sem provas, senador republicano diz que 40 mil brasileiros de bolsas Gucci entraram sem documentos nos EUA

'Iam para Connecticut vestindo roupas de grife e bolsas Gucci', afirmou Lindsey Graham, um apoiador fiel de Donald Trump

COMPARTILHE:

2021-10-14 16:42:30

O Globo

WASHINGTON - O senador republicano Lindsey Graham afirmou na terça-feira, sem qualquer prova, que dezenas de milhares de brasileiros bem vestidos cruzaram ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos com o México a caminho do estado de Connecticut.

Enquanto falava com o apresentador da Fox News Sean Hannity em seu programa homônimo, o republicano da Carolina do Sul disse que o anúncio de terça-feira de que o Departamento de Segurança Interna começaria a ter como alvo 'empregadores inescrupulosos que exploram a vulnerabilidade de trabalhadores sem documentos' — no lugar de conduzir operações para prender os próprios trabalhadores — era responsável por atrair um fluxo de migrantes com gostos de vestuário muito específicos.

— Agora, o que Mayorkas fez hoje, cancelando todas as batidas de canteiro de obras, vai ser mais um incentivo para as pessoas virem, porque todo mundo sabe como funciona. Você vem, pede asilo, nunca sai. As escolhas políticas de Biden estão na boca de todo o mundo agora — disse Graham, referindo-se ao secretário de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas.

Graham em seguida afirmou:

— Tivemos 40 mil brasileiros que vieram apenas do setor Yuma [na fronteira do México com o Arizona], indo para Connecticut vestindo roupas de grife e bolsas Gucci.

Leia também:'Milícia de coiotes' já leva pelo deserto centenas de brasileiros ilegais até os EUA

Consultado pela imprensa americana sobre onde obtivera essa informação tão específica, o porta-voz de Graham, Kevin Bishop, disse que o senador “acabou de visitar o setor Yuma de onde os brasileiros estão migrando e entrando nos Estados Unidos”.

— Vimos bagagem e roupas que são altamente incomuns para alguém que estaria supostamente viajando pelo deserto em uma longa jornada para os EUA — afirmou Bishop ao Washington Post, acrescentando que os imigrantes deveriam estar cobertos de sujeira, mas permanecem misteriosamente limpos. — Sem poeira ou lama sobre eles.

Bishop acrescentou que Graham observou que 'as malas eram melhores do que as dele próprio”.

Fuga: Imigrantes brasileiros são encontrados em carroceiria de caminhão na fronteira entre México e EUA

Graham, um fiel apoiador de Donald Trump durante seus anos na Casa Branca, segue a linha do ex-presidente de incitar o medo contra imigrantes. O ex-presidente chegou a chamar mexicanos de estupradores e criminosos. Mais recentemente, alegou que imigrantes haitianos que buscam asilo nos Estados Unidos “provavelmente têm Aids' e serão um “desejo de morte para o nosso país.”

Entenda:Desilusão com crise brasileira faz haitianos arriscarem imigração para os EUA

Neste ano, até o final de setembro, 47.484 brasileiros foram detidos tentando entrar nos Estados Unidos vindos do México, segundo o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos. Um aumento de 400% em relação ao ano passado, quando 9.147 foram detidos. Em agosto último, 9.231 foram flagrados, mais do que em todo o ano de 2020.

O Globo, um jornal nacional: Fique por dentro da evolução do jornal mais lido do Brasil

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal

WASHINGTON - O senador republicano Lindsey Graham afirmou na terça-feira, sem qualquer prova, que dezenas de milhares de brasileiros bem vestidos cruzaram ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos com o México a caminho do estado de Connecticut.

Enquanto falava com o apresentador da Fox News Sean Hannity em seu programa homônimo, o republicano da Carolina do Sul disse que o anúncio de terça-feira de que o Departamento de Segurança Interna começaria a ter como alvo 'empregadores inescrupulosos que exploram a vulnerabilidade de trabalhadores sem documentos' — no lugar de conduzir operações para prender os próprios trabalhadores — era responsável por atrair um fluxo de migrantes com gostos de vestuário muito específicos.

— Agora, o que Mayorkas fez hoje, cancelando todas as batidas de canteiro de obras, vai ser mais um incentivo para as pessoas virem, porque todo mundo sabe como funciona. Você vem, pede asilo, nunca sai. As escolhas políticas de Biden estão na boca de todo o mundo agora — disse Graham, referindo-se ao secretário de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas.

Graham em seguida afirmou:

— Tivemos 40 mil brasileiros que vieram apenas do setor Yuma [na fronteira do México com o Arizona], indo para Connecticut vestindo roupas de grife e bolsas Gucci.

Leia também:'Milícia de coiotes' já leva pelo deserto centenas de brasileiros ilegais até os EUA

Consultado pela imprensa americana sobre onde obtivera essa informação tão específica, o porta-voz de Graham, Kevin Bishop, disse que o senador “acabou de visitar o setor Yuma de onde os brasileiros estão migrando e entrando nos Estados Unidos”.

— Vimos bagagem e roupas que são altamente incomuns para alguém que estaria supostamente viajando pelo deserto em uma longa jornada para os EUA — afirmou Bishop ao Washington Post, acrescentando que os imigrantes deveriam estar cobertos de sujeira, mas permanecem misteriosamente limpos. — Sem poeira ou lama sobre eles.

Bishop acrescentou que Graham observou que 'as malas eram melhores do que as dele próprio”.

Fuga: Imigrantes brasileiros são encontrados em carroceiria de caminhão na fronteira entre México e EUA

Graham, um fiel apoiador de Donald Trump durante seus anos na Casa Branca, segue a linha do ex-presidente de incitar o medo contra imigrantes. O ex-presidente chegou a chamar mexicanos de estupradores e criminosos. Mais recentemente, alegou que imigrantes haitianos que buscam asilo nos Estados Unidos “provavelmente têm Aids' e serão um “desejo de morte para o nosso país.”

Entenda:Desilusão com crise brasileira faz haitianos arriscarem imigração para os EUA

Neste ano, até o final de setembro, 47.484 brasileiros foram detidos tentando entrar nos Estados Unidos vindos do México, segundo o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos. Um aumento de 400% em relação ao ano passado, quando 9.147 foram detidos. Em agosto último, 9.231 foram flagrados, mais do que em todo o ano de 2020.

COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Enviar