EUA vão doar mais 500 milhões vacinas a outros países, diz Biden

Com o anúncio de hoje, os EUA aumentaram para 1,1 bilhão de doses a promessa de doação de vacinas contra a covid-19

COMPARTILHE:

2021-09-22 17:57:17

Valor Economico

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, confirmou nesta quarta-feira que seu governo comprará mais 500 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech, que serão doadas a países em desenvolvimento e mais pobres do mundo.

A nova doação já havia sido antecipada por fontes da Casa Branca à imprensa americana e foi formalizada por Biden durante uma cúpula virtual sobre os esforços globais para combater a pandemia, realizada às margens da Assembleia Geral da ONU.

Com o anúncio de hoje, os EUA aumentaram para 1,1 bilhão de doses a promessa de doação de vacinas contra a covid-19. Desse total, cerca de 160 milhões de doses já foram distribuídas para outros países.

“Colocando de outra forma, para cada vacina aplicada hoje nos EUA, agora estamos comprometidos a doar três para o resto do mundo”, disse ele em um breve discurso na abertura da cúpula.

Biden prometeu mais investimentos para ampliar a produção de vacinas em outros países, como Índia e África do Sul, e revelou uma parceria com a União Europeia para expandir a campanha global de vacinação. Ele também fez um apelo aos países ricos que ampliem a doação de imunizantes para as regiões mais pobres do mundo.

O presidente americano aproveitou o discurso para alfinetar a China, embora sem citar Pequim diretamente, como já havia feito ontem durante sua participação na Assembleia Geral da ONU. “Devemos nos comprometer a doar, não vender, essas doses para os países de baixa renda. E essas doações devem vir sem amarras políticas”, ressaltou.

Em seu discurso na ONU ontem, o presidente da China, Xi Jinping, reiterou uma promessa de que seu país fornecerá 1 bilhão de vacinas ao mundo até o final deste ano e doará 100 milhões para o Covax Facility, o consórcio global que tenta garantir uma distribuição mais igualitária dos imunizantes.

Além da UE, a cúpula virtual convocada por Biden conta com a presença de Reino Unido, Canadá, África do Sul e Indonésia. O secretário-geral da ONU, António Guterres, e os diretores da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, e da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, também participam do encontro.

Em junho, Biden já havia anunciado a compra de 500 milhões de doses da vacina da Pfizer, que começaram a ser enviadas aos países em agosto. As outras 100 milhões de doses doadas pelos americanos são dos imunizantes da Moderna e da Johnson & Johnson.

O anúncio de Biden ocorre em meio às críticas aos EUA e outros governos pelas disparidades na campanha global de vacinação contra a covid-19. Ontem, Guterres chamou de “obscenidade” a desigualdade entre ricos e pobres no número de vacinas aplicadas.

— Foto: John Minchillo/AP

COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Enviar